Moradores comemoram retomada de vacinação por idade nesta semana

Homens com 59 anos sem comorbidades tomam vacina AstraZeneca em quatro postos de Nilópolis.

“Tive Covid em abril deste ano e perdi um cunhado há duas semanas para essa doença. Não estou preocupado se a vacina AstraZeneca vai causar qualquer reação, eu quero é me vacinar”, afirmou o advogado Sidney Polo de Faria, morador do Centro que se imunizou nesta terça-feira (8/6) no Posto de Atendimento Médico e Sanitário do Cabral, na Rua Roldão Gonçalves, s/n, Cabral. No dia anterior, a unidade atendeu 25 mulheres com 59 anos seguindo o calendário de vacinação da cidade.

Ele e outros homens que procuraram o local foram atendidos pela equipe coordenada pela técnica de enfermagem Maria de Fátima de Souza. “Explicamos a todos eles que a AstraZeneca é eficaz e, que se sentirem dor, podem colocar gelo no local. Se for uma sensação mais forte, eles podem tomar uma medicação que já estejam acostumados para dor”, informou Maria de Fátima.

Sidney contou que o médico passou corticoide para a secreção que se formou em seu pulmão. “Descansei muito, tomei suco de couve com inhame e limão”, recordou ele, que também toma a vacina da gripe nesse posto. “Não fiz uso de outros remédios como prevenção. Não acredito que adiante, tenho um cunhado que morreu há duas semanas com o coronavírus. E ele tomou esses remédios que dizem ser para tratamento preventivo. Não adiantou de nada. A vacina tem se mostrado mais eficaz que qualquer tratamento”, salientou.

As técnicas de enfermagem aplicaram o imunizante em Roberto Jardim Pimentel, morador do bairro Manoel Reis, e ele depois foi buscar a esposa, Nilce Maria, que pegou a doença e está se restabelecendo ainda. “ Estou fazendo reabilitação e, agora que tomei a vacina, estou mais tranquila”, afirmou dona Nilce. Ambos tiveram a doença em abril deste ano e a mulher chegou a ser internada no hospital Pronil, sendo posteriormente transferida para o Hospital Panamericano, na Tijuca. “Passamos um susto muito grande e estamos muito felizes”, concluiu Roberto Pimentel.

A dona de casa Vanessa Cordeiro, 38 anos, é hipertensa e perdeu a data agendada para as pessoas de sua faixa etária. Esteve no posto e foi imunizada. “ Fiquei mais tranquila depois que tomei a vacina, uma irmã que tem comorbidade foi imunizada também. Agora só falta uma irmã de 40 anos, mas ela terá que esperar sua vez chegar, porque não tem doença pré-existente”, relatou.

No Posto Programa de Saúde da Família, Rua General Mena Barreto, sem número, no Cabuís, o diretor Samir Fernandes disse que 74 pessoas estiveram na unidade nesta segunda-feira. “ Uma parte desse público era de profissionais de saúde também, pois continuamos a vaciná-los. Hoje já tivemos 30 homens vacinados”, informou Fernandes, às 11h, observando o computador onde os dados eram inseridos. Ele acrescentou que a vacinação contra a gripe é feita à tarde e a adesão dos moradores está boa.

Você pode gostar...