Cadastro dos Grupos Étnicos

A Superintendência de Promoção de Igualdade Racial tem por objetivo formular, coordenar e fomentar políticas públicas que promovem ações para o desenvolvimento da igualdade étnica, combatendo as desigualdades sociais, proporcionando o cumprimento dos Direitos legítimos, oportunizando aos cidadãos e cidadãs de todos os grupos raciais e étnicos que compõem a nossa população nilopolitana.

A Superintendência de Promoção de Igualdade Racial tem por objetivo formular, coordenar e fomentar políticas públicas que promovem ações para o desenvolvimento da igualdade étnica, combatendo as desigualdades sociais, proporcionando o cumprimento dos Direitos legítimos, oportunizando aos cidadãos e cidadãs de todos os grupos raciais e étnicos que compõem a nossa população nilopolitana.

FAÇA PARTE DESTA COMUNIDADE

A Secretaria Municipal de Cidadania e Direitos Humanos, através da superintendência de igualdade racial em parceria com a Superintendência dos Conselhos, objetivando o diálogo com todos os movimentos sociais, culturais e religiosos, convidam para Cadastramento Municipal, as Instituições Religiosas de Matriz Africana, bem como, grupos voltados a este segmento, a fim de formular estratégias de ações, fundamentadas em indicadores reais ao nosso município.

SOBRE

Povos de terreiro ou Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana são o conjunto de populações, em sua maioria, de origem afro-brasileira, que está ligado às comunidades religiosas de matrizes africanas por vínculos de parentescos ou iniciáticos.

Assim se definem em razão do pertencimento, uma vez que se estruturam em torno de organizações sociais religiosas de intensa forma de sociabilidade coletiva. Religiões de matrizes africanas são os conjuntos de práticas religiosas que se originaram através das populações negras africanas escravizadas no Brasil. Pertencem a esse conjunto de práticas: o CANDOMBLÉ, O BATUQUE, O TAMBOR DE MINA, A PAJELANÇA, A MACUMBA, A UMBANDA, dentre outras. Em geral se organizam dentro de UM ESPAÇO TERRITORIAL CHAMADO TERREIRO. 

Os terreiros são locais sagrados de culto e estão presentes em todo o Brasil. Os espaços de organizações do culto, bem como suas dependências internas, os locais externos e os locais da natureza são considerados locais sagrados, sendo assim, a territorialidade dessa população se expande para além do local físico onde se organizam.

fonte: Portal Ypadê / Ministério da Cidadania

OBJETIVO

Este questionário visa realizar o levantamento quantitativo relacionado às Comunidades, Povos, Casas, agentes, grupos culturais tradicionais de matriz africana presentes no município de Nilópolis.

            Os realizadores deste questionário pretendem desenvolver um diagnóstico referente ao tema, para futura apresentação de um relatório referente ao quantitativo, quais as atividades e onde estão localizados, objetivando, posteriormente, junto aos órgãos da gestão pública, serem debatidas propostas de ações, programas e políticas públicas referentes a esses grupos e indivíduos, como, também, a inserção destes grupos e agentes nos projetos e ações já desenvolvidos pelo Poder Público.

            Este cadastro é fruto de uma parceria entre Secretaria Municipal de Cidadania e Direitos Humanos, por intermédio da Superintendência de Promoção de Igualdade Racial, em parceria com a Superintendência Municipal dos Conselhos e o Grupo Cultural Omon Obá.

 

Definição:

Povos de terreiro ou Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana são o conjunto de populações, em sua maioria, de origem afro-brasileira, que está ligado às comunidades religiosas de matrizes africanas por vínculos de parentescos ou iniciáticos.

Assim se definem em razão do pertencimento, uma vez que se estruturam em torno de organizações sociais religiosas de intensa forma de sociabilidade coletiva. Religiões de matrizes africanas são os conjuntos de práticas religiosas que se originaram através das populações negras africanas escravizadas no Brasil. Pertencem a esse conjunto de práticas: o CANDOMBLÉ, O BATUQUE, O TAMBOR DE MINA, A PAJELANÇA, A MACUMBA, A UMBANDA, dentre outras. Em geral se organizam dentro de UM ESPAÇO TERRITORIAL CHAMADO TERREIRO. 

Os terreiros são locais sagrados de culto e estão presentes em todo o Brasil. Os espaços de organizações do culto, bem como suas dependências internas, os locais externos e os locais da natureza são considerados locais sagrados, sendo assim, a territorialidade dessa população se expande para além do local físico onde se organizam.

FAÇA PARTE DESTA COMUNIDADE

A Secretaria Municipal de Cidadania e Direitos Humanos, através da superintendência de igualdade racial em parceria com a Superintendência dos Conselhos, objetivando o diálogo com todos os movimentos sociais, culturais e religiosos, convidam para Cadastramento Municipal, as Instituições Religiosas de Matriz Africana, bem como, grupos voltados a este segmento, a fim de formular estratégias de ações, fundamentadas em indicadores reais ao nosso município.

SOBRE

Povos de terreiro ou Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana são o conjunto de populações, em sua maioria, de origem afro-brasileira, que está ligado às comunidades religiosas de matrizes africanas por vínculos de parentescos ou iniciáticos.

Assim se definem em razão do pertencimento, uma vez que se estruturam em torno de organizações sociais religiosas de intensa forma de sociabilidade coletiva. Religiões de matrizes africanas são os conjuntos de práticas religiosas que se originaram através das populações negras africanas escravizadas no Brasil. Pertencem a esse conjunto de práticas: o CANDOMBLÉ, O BATUQUE, O TAMBOR DE MINA, A PAJELANÇA, A MACUMBA, A UMBANDA, dentre outras. Em geral se organizam dentro de UM ESPAÇO TERRITORIAL CHAMADO TERREIRO. 

Os terreiros são locais sagrados de culto e estão presentes em todo o Brasil. Os espaços de organizações do culto, bem como suas dependências internas, os locais externos e os locais da natureza são considerados locais sagrados, sendo assim, a territorialidade dessa população se expande para além do local físico onde se organizam.

fonte: Portal Ypadê / Ministério da Cidadania

OBJETIVO

Este questionário visa realizar o levantamento quantitativo relacionado às Comunidades, Povos, Casas, agentes, grupos culturais tradicionais de matriz africana presentes no município de Nilópolis.

            Os realizadores deste questionário pretendem desenvolver um diagnóstico referente ao tema, para futura apresentação de um relatório referente ao quantitativo, quais as atividades e onde estão localizados, objetivando, posteriormente, junto aos órgãos da gestão pública, serem debatidas propostas de ações, programas e políticas públicas referentes a esses grupos e indivíduos, como, também, a inserção destes grupos e agentes nos projetos e ações já desenvolvidos pelo Poder Público.

            Este cadastro é fruto de uma parceria entre Secretaria Municipal de Cidadania e Direitos Humanos, por intermédio da Superintendência de Promoção de Igualdade Racial, em parceria com a Superintendência Municipal dos Conselhos e o Grupo Cultural Omon Obá.

 

Definição:

Povos de terreiro ou Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana são o conjunto de populações, em sua maioria, de origem afro-brasileira, que está ligado às comunidades religiosas de matrizes africanas por vínculos de parentescos ou iniciáticos.

Assim se definem em razão do pertencimento, uma vez que se estruturam em torno de organizações sociais religiosas de intensa forma de sociabilidade coletiva. Religiões de matrizes africanas são os conjuntos de práticas religiosas que se originaram através das populações negras africanas escravizadas no Brasil. Pertencem a esse conjunto de práticas: o CANDOMBLÉ, O BATUQUE, O TAMBOR DE MINA, A PAJELANÇA, A MACUMBA, A UMBANDA, dentre outras. Em geral se organizam dentro de UM ESPAÇO TERRITORIAL CHAMADO TERREIRO. 

Os terreiros são locais sagrados de culto e estão presentes em todo o Brasil. Os espaços de organizações do culto, bem como suas dependências internas, os locais externos e os locais da natureza são considerados locais sagrados, sendo assim, a territorialidade dessa população se expande para além do local físico onde se organizam.

CADASTRO

QUEM DEVE PARTICIPAR E COMO SE CADASTRAR?

A iniciativa é composta por dois tipos de formulários:

CADASTRO DE POVOS E COMUNIDADES TRADICIONAIS DE MATRIZ AFRICANA DE NILÓPOLIS

(Destinado a Comunidades, Casas e Ylê Axés presentes no município)

CADASTRO DE AGENTES E GRUPOS CULTURAIS DOS POVOS E COMUNIDADES TRADICIONAIS DE MATRIZ AFRICANA DE NILÓPOLIS

(Destinado aos agentes e empreendedores culturais que possuam atividades relacionadas à preservação, produção e difusão de atividades culturais relacionadas a essas tradições e que estejam sediados na cidade de Nilópolis)

CADASTRO

Quem deve participar e como se cadastrar?

A iniciativa é composta por dois tipos de formulários:

CADASTRO DE POVOS E COMUNIDADES TRADICIONAIS DE MATRIZ AFRICANA DE NILÓPOLIS

(Destinado a Comunidades, Casas e Ylê Axés presentes no município)

CADASTRO DE AGENTES E GRUPOS CULTURAIS DOS POVOS E COMUNIDADES TRADICIONAIS DE MATRIZ AFRICANA DE NILÓPOLIS

(Destinado aos agentes e empreendedores culturais que possuam atividades relacionadas à preservação, produção e difusão de atividades culturais relacionadas a essas tradições e que estejam sediados na cidade de Nilópolis)

Em caso de dúvidas, entre em contato pelo e-mail:

ou

Em caso de dúvidas, entre em contato pelo e-mail:

ou